quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Pensamentos sem pontos

Um querido conhecido me disse que andamos a 800 km/h para o passado, enquanto andamos a apenas 20 km/h para o futuro.
Vez ou outra me pego fantasiando coisas que machucam,
sentimentos que não se realizaram,
relacionamentos que se partiram.

Vez ou outra me acho boba e chego a detestar toda ingenuidade que meu corpo carrega. Detesto primeiramente a posse e depois a morte que só o tempo pode curar e esquecer.

Minha pergunta sempre foi como alcançar o verdadeiro estando viva e entrando em mil labirintos.
Perceber que os labirintos são de pedra sabão é presente que um doce mineiro sabe reconhecer.
Nem tudo é tão difícil,
Gosto até das dificuldades ou sou burra o suficiente para não saber reconhecê-las de corpo.
Não digo que não sei, digo que ainda não aprendi, que talvez eu aprenda. Nós nascemos tão pouco, sabemos tão pouco. É preciso perdoar toda ignorância com a docilidade que se ensina a uma criança. Crianças são lindas.

A beleza está em nossas mãos.

Uma conhecida me disse ontem que gostava muito de fotografar, mas que não tinha técnica, só tinha afeto. Eu lhe disse: "então você tem tudo".

Por que damos nomes aos ventos? O vento que passa na costa leste do território do grande país,
que passa pela esquerda,
pela direita,
no centro,
da mosca
do centro,
que não é brisa mas sabe ser suave como o mar. Nome do vento é companheiro que nos acolhe em tempos frios de poucas almas na rua,
é ele que está aqui presente em todas as ruas do centro histórico da cidade de Porto Alegre.
Desce rua
Sobe rua
Desce a mesma rua várias vezes e as escadas que nos levam a relógios quebrados.
O vento gélido que me toca a nuca diz que devo ir para casa, seja ela qual for. É o tempo e o momento do vento dançar nu e sozinho nas ruas amarelo candescentes de candura. O vento, por si só, anuncia e é sua própria dança.

Nos deram os olhos para sentir com eles.
Nos deram as mãos para sentir com elas.
Nos deram as palavras para sermos honestos com elas.

Nada deve ser desperdiçado.

Um comentário:

  1. Acho que você vai gostar disso: http://blog.animamundi.com.br/wind-animacao-questiona-nossa-percepcao-do-mundo-que-nos-rodeia/. Acabei de assistir e li seu texto, acho que encaixou um tantin.

    ResponderExcluir

Seguidores