sábado, 28 de janeiro de 2012

deixa as velhas botas para lá do quintal, bem no canto onde as cobras se desenrolam como a flor na janela do  quarto. Lá é que o infinito não tem cor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguidores